Internet

now browsing by tag

 
 

Mudança no Marco Civil pode reduzir velocidade da internet no Brasil

Por Wikerson Landim em 27 de Julho de 2013

Mudança no Marco Civil pode reduzir velocidade da internet no Brasil (Fonte da imagem: Reprodução/PT)

 

As empresas de telefonia conseguiram emplacar um artigo na proposta de texto do Marco Civil da Internet, projeto de lei que deve definir as novas regras para o uso da internet no Brasil. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o novo texto permite que as operadoras reduzam a velocidade de conexão oferecida aos usuários em alguns casos, algo que era proibido até então.

Se aprovada a nova proposta, as operadoras de telefonia poderão reduzir a velocidade de navegação do consumidor após ele atingir um determinado volume de dados, da mesma forma que já acontece nos dias de hoje em alguns pacotes. Pela proposta anterior, a comercialização de pacotes com limite de franquia estava proibida.

O relator do projeto, o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ) afirmou que não se opõe à redação, mas ainda não tem posição definida sobre o assunto. A inclusão da nova redação foi comemorada pelas operadoras. “É um avanço, mas não atende por completo as nossas reivindicações”, explicou Alex Castro, diretor de regulação do Sinditelbrasil.

As operadoras de telefonia argumentam que precisam de maior autonomia para gerenciar a velocidade oferecida para os usuários, já que a demanda cresce a cada ano e são elas que têm que bancar a infraestrutura. Por outro lado, o governo espera que as reduções de velocidade sejam aplicadas somente em casos de emergência.

Fonte: Folha de S.Paulo

Claro inicia serviço de 4G em cidades da Copa das Confederações

Aparelhos Nokia, Motorola e Sony 4G (Foto: Lilian Quaino/G1)

Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador, cidades que sediarão os jogos da Copa das Confederações, já têm funcionando a partir de desta terça-feira (16) os serviço da tecnologia 4G Max da Claro, segundo a empresa. A companhia anunciou que o investimento na instalação da rede nesta cidades chegou a R$ 510 milhões. Até 2014, na Copa do Mundo, a expectativa da empresa é investir  R$ 6,2 bilhões em sua tecnologa 4G para ampliar a cobertura.

No Rio, são atendidos pelo 4G da Claro 65 bairros, que recebem o sinal por meio de 166 antenas, atendendo a 50% da população da área urbana. As antenas atendem aos serviços Gs, 3G, 3G Max e 4G. No Estado do Rio, as cidades de Búzios e Paraty já contavam com o serviço. Além dessas, a Claro atende em 4G  as cidades de Recife, Curitiba, Porto Alegre e Campos do Jordão. Ao todo, segundo a empresa, já são cinco mil clientes da 4G. Além da capital do Paraná, a Claro oferece o serviço de acesso móvel pela tecnologia 4G em Porto Alegre (RS), Recife (PE), Paraty (RJ), Campos do Jordão (SP) e Búzios (RJ). “A Claro batizou seu 4G de Max por usar a frequencia de 40Mhz, o dobro das demais disponíveis.

As operadoras Oi, TIM e Vivo informaram que trabalham para iniciar oferta do acesso 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações até o prazo estabelecido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em 30 de abril.

A Oi informou que anunciará na semana que vem sua estratégia de atuação para o 4G. “As antenas necessárias para a cobertura inicial exigida pelo edital do 4G estão em fase final de instalação pela Oi nas seis cidades-sede da Copa das Confederações (Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador)”, disse a empresa, acrescentando que divulgará, em breve, qual será a mancha de cobertura inicial de sua rede 4G nesses municípios.

A Claro já tem nove aparelhos habilitados para a rede, entre as fabricantes Nokia, Samsumg, LG, Motorola e Sony.

“O acionista quer largar na frente na tecnologia 4G e queremos ser líderes nesse segmento”, disse Gabriela Derenne, diretora regional da Claro para o Rio de Janero e Espírito Santo.

O cronograma da Anatel para a Claro, segundo Gabriela, é até fim de 2013 fornecer o 4G para Cuiabá, Manaus, Natal, e São Paulo. Até 31 de maio de 2014, deverão receber a tecnologia capitais com mais de 500 mil habitantes. Cidades com mais de 200 mil habitantes deverão ser habilitadas até até 31 de dezembro de 2015. Um ano depois, o 4G da Claro deve chegar a cidades com mais de 100 mil habitantes. Para dezembro de 2017, cidades com mais de 30 mil habitantes serão atendidas.

Gabriela Derenne, diretora regional da claro para rio e es (Foto: Lilian Quaino/G1)
Gabriela Derenne, diretora regional da Claro para o Rio de Janeiro e Espírito Santo (Foto: Lilian Quaino/G1)
Fonte: G1

Empresa japonesa oferece internet de 2 Gbps por US$ 51

Internet Muitos brasileiros sentiram vontade de pegar o primeiro avião para os EUA ao saber que o Google está implantando a internet de fibra ótica de 1 gigabit no país. Estes podem mudar o destino de sua viagem: o Japão já tem um serviço que oferece o dobro de velocidade, por um preço menor.

O serviço foi anunciado nesta segunda-feira, 15, pela So-net, empresa subsidiária da Sony no Japão. Ela está oferecendo um serviço de 2 gigabits pelo equivalente a US$ 51 mensais, incluindo o aluguel do equipamento.

O acerto, no entanto, teria alguns reveses. Para aderir ao serviço, o usuário precisaria pagar uma taxa de instalação equivalente a US$ 540. Além disso, o plano exige dois anos de fidelidade.

Internets ultrarrápidas no Japão não são novidade, mas chama a atenção também o preço cobrado. O Google cobra um valor a partir de US$ 70 para oferecer seu serviço em apenas duas cidades dos Estados Unidos.

O PCWorld nota, no entanto, que a maioria dos consumidores não conseguiria tirar proveito da superconexão. Isso porque a maioria dos computadores só aceita conexão de 1 Gbps por meio de cabos e ainda menos por meio de redes sem fio. Entretanto, seria mais fácil que múltiplos usuários desfrutassem de boa qualidade de conexão, mesmo que os computadores não aguentem totalmente a velocidade.

Fonte: OlharDigital